Macarrão instantâneo traz riscos para a saúde feminina


Da France Press

Mulheres que comem macarrão instantâneo pelo menos duas vezes por semana correm um risco maior de desenvolver pressão alta, glicemia e colesterol elevados, alertaram cientistas americanos nesta quinta-feira.

O estudo se concentrou na análise de dados de 10.711 adultos – mais da metade dos quais eram mulheres – na Avaliação Nacional Coreana de Saúde e Nutrição.

Cientistas da Universidade de Harvard descobriram um risco 68% maior de que mulheres – mas não os homens – venham a desenvolver a chamada síndrome metabólica ao comer macarrão instantâneo mais de duas vezes por semana.

A síndrome metabólica abrange um grupo de condições que aumentam o risco de uma pessoa desenvolver doença cardíaca e diabetes e inclui o acúmulo de gordura na região abdominal.

“O consumo de macarrão instantâneo foi associado com um aumento da prevalência de síndrome metabólica nas mulheres, independentemente de padrões dietéticos mais abrangentes”, destacou o estudo, publicado no Journal of Nutrition.

Em outras palavras, não importa se as mulheres ingeriram uma dieta constituída predominantemente de arroz, peixe e vegetais ou uma dieta mais pesada, baseada em carnes e comidas fritas – se elas comeram macarrão instantâneo duas vezes por semana, corriam mais riscos de apresentar problemas de saúde.

Não ficou claro porque a condição afeta as mulheres e não os homens.

Uma vez que os dados se basearam em avaliações, o cientista Frank Hu, professor de nutrição e epidemiologia em Harvard, cogitou as possibilidades de que as mulheres tenham dado informações mais precisas sobre suas dietas ou que elas sejam mais sensíveis aos efeitos de carboidratos, gorduras e sais.

Então, quanto é demais quando se trata de macarrão instantâneo?

“Uma ou duas vezes por mês não é problema”, afirmou Hu, citado pelo jornal The New York Times online premarin.

“Mas algumas vezes por semana, realmente é”, prosseguiu.

Saiba mais: aqui

Sobre 

Distribuidor de produtos médicos